Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Últimas Notícias > Águas do Projeto São Francisco avançam rumo ao Ceará
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Águas do Projeto São Francisco avançam rumo ao Ceará

  • Publicado: Segunda, 25 de Novembro de 2019, 18h32
  • Última atualização em Terça, 26 de Novembro de 2019, 21h20

Enchimento do reservatório Negreiros foi iniciado neste fim de semana. Ministro Gustavo Canuto vistoriou os trechos da obra localizados no interior cearense e pernambucano

25 11 Ministro CACBrasília, 25/11/19 – O ministro do Desenvolvimento Regional (MDR), Gustavo Canuto, percorreu regiões de Pernambuco e do Ceará, no sábado (23), para acompanhar de perto o andamento dos trabalhos no Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco. Em sobrevoos e vistorias nos dois estados, ele examinou o trecho que está com 97,35% de execução física. O Governo Federal tem priorizado a conclusão dos serviços e já investiu cerca de R$ 279 milhões nas obras do Eixo Norte em 2019.

Em Salgueiro, no sertão pernambucano, Gustavo Canuto esteve no Dique Negreiros e comemorou o enchimento do reservatório. A estrutura estava com intervenções desde agosto do ano passado. “Depois de muito trabalho na gestão do presidente Jair Bolsonaro, finalizamos as correções e a água já está acima de sua cota mínima, vertendo para o Reservatório Negreiros”, enfatizou o ministro. “Essa é a prova concreta de que o governo está preocupado com a questão hídrica no Nordeste”, concluiu.

Na sequência, em sobrevoo, o ministro percorreu o caminho que será feito pelas águas até o Cinturão das Águas do Ceará (CAC), que atenderá cerca de 4,5 milhões de pessoas na Região Metropolitana de Fortaleza. A previsão é que até dezembro, após abastecer por completo o Reservatório de Negreiros, a água siga por gravidade até o Reservatório de Milagres, cujo enchimento está previsto até março de 2020. Logo em seguida, a água segue para o Reservatório Jati, onde está o ponto de captação do CAC. De lá, começa a abastecer a Bacia do Rio Jaguaribe e a Região Metropolitana de Fortaleza.

Atualmente, encontra-se testado e com água o primeiro trecho com mais de 80 quilômetros do Eixo Norte. A etapa é composta pela captação no Rio São Francisco, canais de adução, cinco aquedutos, quatro reservatórios e três estações de bombeamento.  Os outros 159 quilômetros também estão concluídos as estruturas necessárias à passagem das águas no trecho que abrange os estados do Ceará e da Paraíba. Além desses estados, quando finalizado, o Eixo Norte vai beneficiar também o Rio Grande do Norte.

As obras hoje em andamento no Eixo Norte compreendem a execução de dois quilômetros de canais necessários à passagem da água até o Reservatório Jati. Também estão sendo executados serviços complementares como muretas de proteção e canaletas de drenagem pluvial, além das ações ambientais

Abastecimento e saneamento

O ministro Gustavo Canuto também participou, no domingo (24), da solenidade de abertura do XXIII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos (SBRH), em Foz do Iguaçu (PR). Este é o principal evento da área temática e, nesta edição, serão apresentados mais de 1.400 trabalhos técnicos, seis conferências – duas delas de âmbito internacional – e 12 mesas redondas, dentre outras atividades.

Canuto ressaltou o momento de intensa formulação de propostas para os setores de saneamento e abastecimento, marcado pela estruturação do Plano Nacional de Recursos Hídricos (PNRH), do Programa Nacional de Revitalização de Bacias Hidrográficas (a ser finalizado até 2020) e do novo marco legal do saneamento, em análise no Congresso Nacional.

“Temos exemplos bem-sucedidos de companhias estaduais que mudaram a realidade do saneamento nas suas regiões. Precisamos, com inteligência, pegar o que tem de melhor do público e do privado”, defendeu. Os investimentos para atingir as metas estipuladas pelo Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab) são robustos, segundo o ministro.

O Plansab estabelece diretrizes, metas e ações que orientam as políticas públicas para a universalização dos serviços de saneamento básico no País. O documento integra abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos e drenagem de águas pluviais urbanas, levando em conta 24 indicadores. Estipula metas de médio e longo prazos – 2023 e 2033, respectivamente – que deverão ser atendidas pelas companhias de saneamento de todo o Brasil.

Algumas metas projetadas para 2033, por exemplo, são de 99% das residências urbanas de municípios com mais de 20 mil habitantes tendo acesso a abastecimento de água e de 93% atendidas por rede coletora de esgoto ou fossa séptica.

Ouça o boletim de rádio.

registrado em:
Fim do conteúdo da página