Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Saneamento > ProEESA
Início do conteúdo da página

ProEESA

Acessos: 6739

 

marca proeesa cor com legenda

No ano 2017, as despesas com energia elétrica dos prestadores de serviço de saneamento atingiram R$ 5,26 bilhões, tendo sido consumidos 12,6 TWh. Esta quantidade equivale ao consumo doméstico anual de cerca 18,2 milhões de habitantes no Brasil. A informação do consumo energético e dos respectivos gastos dos prestadores de serviço é recolhida e processada pelo Sistema Nacional de Informações sobre o Saneamento (SNIS). O SNIS é uma reconhecida referência internacional em ferramentas de monitoramento e diagnóstico da prestação dos serviços públicos, gerido pela Secretaria Nacional de Saneamento do Ministério do Desenvolvimento Regional.

consumo energetico 2

O projeto de cooperação em eficiência energética no abastecimento de água atua na melhoria das condições para a implantação de medidas nas entidades prestadoras de serviço. O objetivo é aproveitar o potencial de economia existente nos sistemas de abastecimento. Pretende-se, a médio prazo, alcançar reduções significativas nas despesas de eletricidade, nos consumos energéticos e nas perdas de água, com inerentes melhorias na conservação das redes de distribuição e de instalações de bombeamento.

O referido projeto foi pactuado entre a Secretaria Nacional de Saneamento do Ministério do Desenvolvimento Regional e o Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento (BMZ) da Alemanha, sendo a parceria executada pela Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável - Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ).

O projeto incide na análise de instrumentos de financiamento e de fomento de eficiência energética, no intercâmbio de entes no setor de saneamento e de energia e também na adequação de ferramentas e instrumentos metodológicos. As diferentes áreas de atuação são acompanhadas com medidas de informação, sensibilização, capacitação e assessoria.

A cooperação atua em três níveis: no nível macro são apoiadas instituições com relevância nacional nas áreas de saneamento e energia, para que – no médio e longo prazo – haja uma melhoria nas condições do quadro. No nível meso, as instituições são apoiadas em ações que visam o levantamento, a padronização e a interpretação de dados, bem como a difusão de informação sobre eficiência energética. No nível micro, por meio de medidas demonstrativas, são apoiados o desenvolvimento e a implementação de planos de redução de perdas de água e energia num conjunto de prestadoras de serviço de âmbito municipal.

A colaboração teve início em janeiro de 2016, e a conclusão está prevista para o junho de 2019.

Como resultados, espera-se que:

  1. Os prestadores de serviço de saneamento utilizem instrumentos de fomento que contém requisitos de eficiência energética para o planejamento ou a modernização de infraestruturas;
  2. As análises de custos e de potenciais de economia derivadas da eficiência sejam consideradas na elaboração de medidas técnicas ou políticas do setor;
  3. Haja maior coordenação de iniciativas de eficiência energética intersetorialmente;
  4. Os técnicos e tomadores de decisão melhorem suas atividades no que diz respeito à gestão da eficiência energética.

Mais informações podem ser obtidas no Factsheet do projeto clicando aqui

.

Fim do conteúdo da página